Auto Coação - 1º Single "De Não Ter Tempo"

by Um Corpo Estranho

/

lyrics

Auto Coação
(Letra e Música: João Mota e Pedro Franco)

A lutar por defeito,
A caminhar às cegas,
De punhos fechados,
A combater fantasmas.
De dentes cerrados,
Amordaçava a mente,
E olhava o abismo
A calcular a queda.

Eu tinha o peito feito,
Num erro perfeito.
Eu tinha o peito feito a treva

Vi que no tempo em que estive em paz com a solidão,
Estive enganado sob a minha auto coação.

A noite afogada
No canto de um balcão,
Onde eu destilava
O meu coração.
Invocava infinitos,
A bem de me esquecer
A remota morada
Onde te quis perder.

Eu dormia no fundo
Do ventre do mundo,
Dormia no fundo
De um sono profundo.
E Rugia do fundo
Da boca do mundo,
Rugia de fundo..
(A tua voz a combater para não morrer).

credits

released June 24, 2013

tags

license

all rights reserved

about

Um Corpo Estranho Portugal

João Mota e Pedro Franco surgem como contadores de anti-estórias e são eles as duas metades deste agente sonoro que, em pleno processo simbiótico, se propõe alojar nos nossos ouvidos com a intenção assumida de nos legar alguns fantasmas que acreditam ser comuns a todos. ... more

contact / help

Contact Um Corpo Estranho